12 04 17

Como transformar a introversão em vantagem organizacional para uma boa atuação na liderança.

Muitas empresas aplicam testes em seus colaboradores buscando cada vez mais encontrar o perfil ideal de liderança e influenciadores para seu quadro de colaboradores. E neste sentido, a busca por bons oradores e argumentadores sempre atrelada aos mais falantes deixou, muitas vezes, os introvertidos fora da cogitação para a promoção de cargos gerenciais. Ao longo da história não foram poucos os relatos de pessoas excluídas de uma seleção interna por conta de seu perfil reservado e cauteloso.

No entanto, o rótulo dos introvertidos vem perdendo espaço como visão errônea em muitos ambientes corporativos e tem sido contraposto por uma pesquisadora americana, Jennifer B. Kahnweiler, autora do livro “A Força dos Quietos”, que aborda uma perspectiva empresarial para os profissionais mais calados. Pensamentos mais profundos, mergulho na criatividade e reserva ao se expor são características dos profissionais introvertidos, que possuem sim capacidade de liderança, podendo ter um grande número de liderados desejosos por segui-los.

O autocontrole, o pensar antes de agir e o silencio contraditório ao barulhento extrovertido fazem com que o ambiente empresarial fique mais sereno quando conduzidos por profissionais com perfis mais introvertidos, e não menos profissional. A habilidade de persuasão, por sua vez, se torna quase que imperceptível, visto que o comportamento do introvertido reafirma a liderança pelo comportamento e não convencimento.

O que precisamos ter em mente é que cada temperamento e personalidade têm seus pontos fracos e fortes, sendo que devemos saber respeitar cada jeito de ser e buscar adequar o processo de adaptação entre todos da equipe. Mas é mais do que chegado o momento em que as pesquisas evidenciam as grandes vantagens dos quietos no comando da liderança.

Por isso trouxemos 05 razões que mostram por que os introvertidos podem se dar muito bem na liderança:

1. Eles são bons ouvintes

Nada é mais importante do que saber ouvir sua equipe. E esta é uma habilidade nata dos introvertidos. Com o perfil de processar sempre as informações antes de tomar uma ação ou reagir, eles avaliam cuidadosamente os detalhes antes de simplesmente falar o que vem à mente. Com isso também são capazes de gerir mais informações vindas de sua equipe e transformá-las em potencial produtivo, seja analisando novas ideias, sugestões ou mesmo permanecendo atento à opiniões e comentários que podem favorecer as ações corporativas. E essa prática também gera uma relação mais aberta e amigável com a equipe.

2. Eles são flexíveis e confiam em seu time

Como os introvertidos tem uma característica de liderança compartilhada justamente por serem bons ouvintes, há maiores probabilidades de que eles deem mais espaço e autonomia para sua equipe trabalhar, pois valorizam as iniciativas de cada membro do seu time. Isso promove mais flexibilidade para o trabalho diário e torna sua equipe mais confiante e preparada.

 

3. Eles são independentes e promovem a independência

Introvertidos precisam do seu próprio tempo e espaço. Eles são naturalmente independentes e sabem da importância de respeitar os limites de cada um. É por isso que também dão mais espaço aos seus colaboradores e acreditam em gerar equipes independentes, que saibam atuar em situações diversas e mesmo quando não há presença da liderança em alguma ocasião de urgência. Isso gera times mais desenvolvidos e ativos, além de promover também o espírito de criatividade e jogo de cintura em cada membro da equipe, criando um clima saudável em que todos são igualmente responsáveis pelas atividades, sem que exista a necessidade de um chefe pegando no pé o tempo todo para que os resultados apareçam.

4. Eles transmitem calma e serenidade

Introvertidos não são apenas mais silenciosos que os extrovertidos. Eles também são mais calmos, serenos e sinceros. Esse perfil é essencial para uma liderança mais positiva e um clima organizacional mais agradável, já que é comum que as pressões do dia a dia gerem conflitos e emoções inflamadas. Líderes mais calmos tornam-se espelhos para suas equipes, que também adotam essa postura no tratamento com os clientes e refletem resultados mais acolhedores e eficientes.

5. Eles são mais assertivos em tomar decisões

O comportamento mais reflexivo dos extrovertidos os leva a considerar todos os lados de uma questão antes de tomar uma decisão, o que pode torna-la mais assertiva do que as decisões por vezes precipitadas ou impensadas de um extrovertido. Esse potencial de assertividade pode ser fundamental em situações de risco ou mesmo em grandes projetos, pois levam em consideração também todas as ameaças que podem comprometer o sucesso dos resultados, beneficiando os resultados corporativos como um todo e transmitindo a imagem de uma liderança confiável, experiente e exemplar.

Compartilhe...

Tags

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado

três × 5 =

Veja também

Últimas novidades

18 07 22
EMPRESAS PLANAS E FLUÍDAS NA SUA ESTRUTURA ORGANIZACIONAL

Nos últimos anos com o crescimento das startups, e principalmente de empresas de tecnologia e outras, novos desafios nas configurações destas organizações foi a tônica de nossos trabalhos na ár...

903 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
15 07 22
RH ESTRATÉGICO E RESULTADOS DE VALOR

RH estratégico é um modelo de gestão de Recursos Humanos em que os profissionais são parte estratégica da empresa. O RH estratégico tem como principal missão de otimizar processos e deci...

1011 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
24 07 19
RH 4.0 nova tecnologia na busca por talentos

Mesmo entre os temas mais abordados em postagens e grupos do LinkedIn, muitos profissionais ainda se perguntam o que é e como funciona essa nova nomenclatura de Recursos Humanos. O termo surgiu com o...

957 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
31 05 19
Por que investir em um Plano de Cargos, Carreiras e Salários?

Assim como as organizações passaram a exigir novas habilidades e competências dos funcionários, os profissionais também se tornaram mais criteriosos em relação as empresas. Muito além de boas ...

1922 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
11 05 18
As possibilidades de remuneração Estratégica

Em tempos “bicudos” como agora, normalmente as organizações são mais conservadoras com as políticas de remuneração, principalmente pela lentidão econômica que estamos atravessando nos últ...

1455 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
02 03 18
Do RH Operacional para o RH Estratégico

Atualmente, o termo “RH Estratégico” vem sendo adotado por inúmeras organizações visando ter o seu time mais alinhado ao negócio, já que como sabemos a gestão de recursos humanos é fator c...

1672 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
02 10 17
As principais causas e soluções para o absenteísmo nas empresas

Dentre os diversos índices acompanhados pela área de gestão de pessoas, o absenteísmo se destaca como um dos mais críticos. Tal indicador expressa o número de ausências de colaboradores no ambi...

1561 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
28 09 17
Workaholic: um mal não necessário

Sandra acorda as 6h00, toma um mero café enquanto passa a agenda e olha os e-mails que não conseguiu responder no dia anterior. Ela sai para o trabalho quase sempre atrasada enquanto seu marido e......

1142 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
26 09 17
Cultura Organizacional – Não sinta-se em casa

É comum, principalmente quando se fala em primeiro emprego, que o colaborador ganhe certo apego ao local de trabalho se ele está confortável e acolhido naquele espaço. Ao se adaptar bem à cultura...

466 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
19 05 17
Como administrar conflitos de forma produtiva nas empresas e na vida

Podemos dizer que percepção é a maneira como nós vemos, julgamos, conceituamos, qualificamos tanto a nós mesmos- percepção pessoal – quanto a outras pessoas – percepção interpessoal. Nós...

1122 VISUALIZAÇÕES
0 COMENTÁRIO
Voltar ao topo
Fale Conosco
Este site usa cookies para análises, personalização e publicidade.
Reveja a nossa política de cookies para saber mais. Ao continuar a navegar, concorda com a nossa utilização de cookies.